sexta-feira, 1 de abril de 2016

Edição de OJR,M de Março/2016 dá uma visão geral da Audiência sobre Segurança Pública de Recreio,MG

A edição de março/2016 de OJR,M (O JORNAL DE RECREIO,Minas) – nº 631 traz uma ampla visão sobre a Audiência Pública realizada no município de Recreio, no dia 14 e mostra o saldo positivo de tudo que se falou e discutiu no encontro, culminando com a necessidade de ativar o CONSELHO MUNICIPAL DE SEGURANÇA PÚBLICA ( CONSEP ) e projetos sociais como o PROERD.  

Outros artigos, focando a “politicalha” e a situação que vive nosso país e mais outras informações de interesse do cidadão recreiense faz dessa presente edição um momento que não pode passar despercebido de quem quer ficar bem informado Veja mais comentários sobre os artigos e fotos no blog OJR,M


Site JR MINAS, da Radiante Recreio, está fora do ar

O site JR MINAS (www.jrminas.com.br) está fora do ar desde a manhã de ontem devido a um problema no WordPress e está sendo atualizado para receber a migração de conteúdo, e em breve já estará disponível. A direção da Radiante Recreio, que integra o sistema de comunicação O JORNAL DE RECREIO,Minas (OJR,M) pede desculpas pelo transtorno e lembra que os artigos de atualização , enquanto o JR MINAS ficar dora do ar está sendo divulgado no blog JR MINAS  E NO SITE OFICIAL RADIANTE RECREIO 

Dia Mundial da Conscientização do Autismo será marcado por caminhada em Cataguases

Na programação palestras com profissionais, encontro de pais de filhos autistas e muito mais. Últimas inscrições.
gaac 1j5i52 No próximo sábado, 02 de abril, é o Dia Mundial da Conscientização do Autismo. Para marcar essa data,    conscientizar e reforçar a importância de um diagnóstico precoce da síndrome do autismo, o Grupo dos Amigos Autistas de Cataguases – GAAC realiza a Caminhada Azul. A passeata sairá às 8h30 da Praça de Esportes, na Avenida Astolfo Dutra, em direção à Praça Rui Barbosa, onde haverá distribuição de panfletos e cartilhas sobre o tema; presença de familiares de autistas e profissionais da área, além de outras atrações para as crianças.
dia 02 de abril será encerrado com uma missa às 19h30 na Igreja Santa Rita de Cássia, cuja torre será iluminada com a cor azul. O azul foi definido como a cor símbolo do autismo, porque a síndrome é mais comum nos meninos — na proporção de quatro meninos para cada menina. A ideia de iluminar algum  ponto importante da cidade é para chamar a atenção da sociedade, poder falar sobre autismo e levantar a discussão a respeito dessa complexa síndrome.
Durante toda a semana seguinte, até o sábado (09/04), essa discussão continua no Centro Cultural Humberto Mauro (CCHM), em Cataguases, com palestras, apresentação de casos práticos, discussão sobre as práticas adotadas e expectativas de desenvolvimento para os autistas.
Para isso, de 04 a 07 de abril, será realizado um ciclo de palestras com profissionais da região. Sempre no período noturno. Nos dias 08 e 09, acontece o II Simpósio com a presença de especialistas de referência nacional no autismo.
No dia 09, o evento contará com a presença especial do adolescente autista de 16 anos, Nicolas Brito, conhecido nacionalmente por suas diversas entrevistas e vídeos, inclusive com pessoas famosas. Nicolas é estudante de uma escola regular e percorre todo o Brasil, realizando palestras e compartilhando sua própria história, desafios e conquistas, além de levar informações importantes sobre o autismo. Nas horas vagas, ele é fotógrafo freelance.
Outra presença de destaque é o doutor em Educação, psicopedagogo, pesquisador e professor Eugênio Cunha, autor de diversos livros sobre inclusão social e autismo, uma síndrome que hoje atinge mais de 2 milhões de brasileiros e no mundo mais de 70 milhões de pessoas, segundo estimativa da Organização das Nações Unidas (ONU).
“Precisamos disseminar a ideia de que a informação é o melhor caminho para a quebra de paradigmas e do preconceito. Nossa história começou diante da dificuldade de inclusão escolar e tratamento especializado para o Autismo aqui na região. Precisamos alertar nossos profissionais de saúde e educação o quanto é determinante o diagnóstico precoce e que o processo de inclusão é complexo, mas que o sucesso depende apenas de vontade e capacitação”, comenta uma das organizadoras do evento e fundadora do GAAC, Fernanda Vidal Magalhães, mãe da Lara de sete anos com autismo.
“A falta de informação alimenta o preconceito. Podemos contribuir para o desenvolvimento de muitas crianças no município, cujos familiares não tem acesso a informações sobre os direitos, formas de inclusão e tratamentos do autismo. Crianças e adultos especiais são capazes de superar seus limites e ter todas as suas potencialidades plenamente desenvolvidas”, acrescenta a terapeuta especializada em Autismo, Priscila Machado.
O GAAC, criado em 2014, é formado por pais de crianças autistas que se reúnem mensalmente para compartilhar e trocar experiências e práticas sobre seus filhos.
Para contribuir com o evento que é gratuito e aberto ao público, o GAAC está com um ponto de vendas de camisas com a frase AUTISMO mais informação menos preconceito. Outras informações e inscrições pelo site: https://gaac.vpeventos.com/. As vagas são limitadas. Participe!

domingo, 14 de fevereiro de 2016

Aneel reduz o valor da bandeira amarela

. A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) reduziu, em 40%, o valor da tarifa adicional da bandeira amarela: de R$2,50 para R$1,50. A bandeira vermelha também foi dividida em dois patamares: o patamar 1, já chamado de “bandeira rosa”, com cobrança extra de R$3,00 para cada 100 kilowatts-hora consumidos e o patamar 2, de cor vermelha, que mantém o valor de R$4,50 por 100 kWh.
 A mudança está valendo para todas as concessionárias do país desde 1° de fevereiro

 Entenda como funcionam as faixas de acionamento das bandeiras:
A decisão da cor da bandeira é definida no fim de cada mês pela Aneel e passa a vigorar a partir do primeiro dia do mês seguinte.  A cor, além de sinalizar ao consumidor o custo de produção de energia no país, permite a cobrança automática para cobrir estes custos, por meio de um adicional na tarifa:
 - Se o custo variável da térmica for menor que R$ 211,28/MWh (reais por megawatt-hora), então a bandeira é verde sem custo extra para o consumidor.
- Se estiver entre R$ 211,28/MWh e R$ 422,56/MWh, a bandeira é amarela com acréscimo de R$1,50 a cada 100 quilowatt-hora (KWh) consumidos.
- Já na bandeira vermelha existem dois patamares:
▪      Patamar 1 (também conhecida como bandeira rosa): custo de R$ 3,00 a cada 100 KWh consumidos para geração térmica de R$ 422,56 até R$ 610/MWh.
▪      Patamar 2: bandeira vermelha, com custo de R$ 4,50 a cada 100 KWh consumidos para geração térmica maior ou igual a R$ 610/MWh.

 Para os consumidores, tanto a bandeira vermelha, quanto a rosa a indicam que a energia encontra-se com alto custo de geração e devem ser mantidos o uso eficiente e o combate ao desperdício.  Vale lembrar que a definição da cor da bandeira poder ter variação de uma região para outra do país, a depender das condições exigidas para geração de energia. MAIS INFORMAÇÕES EM SITE JR MINAS

sexta-feira, 18 de setembro de 2015

Raul Soares, Abre Campo, Laranjal e Recreio tem apresentação do Teatrando Por Aí...

Grupo de teatro realiza apresentações  no interior de Minas Gerais 
Pela primeira vez, o grupo Teatrando Por Aí faz turnê pelo interior do estado. Peça mostra que tecnologia e literatura podem andar de mãos dadas


Maurinho é um garoto super conectado ao mundo digital, assim como todos os moradores da cidade de Tecnópolis. Quando seus pais o mandam passar as férias na casa da avó, longe das mídias eletrônicas, ele conhece Ana, uma menina apaixonada pelo universo literário. Desse encontro nasce uma grande amizade, cheia de diversão e aprendizado.
Esse é o enredo da peça 
Tecnópolis – Sem livro para contar história, apresentada pelo grupo Teatrando Por Aí. Vindos de Florianópolis (SC), o grupo faz apresentações gratuitas nas cidades de Raul Soares, Abre Campo, Laranjal e Recreio, no interior de Minas Gerais, entre os dias 21 de setembro e 02 de outubro (ver agenda).
O espetáculo faz parte do projeto cultural “Teatro na Escola: Divertir para Educar”, que tem como objetivo levar teatro a escolas públicas do ensino fundamental 
da região sul e sudeste do Brasil, possibilitando a democratização e popularização do teatro infantil. “Buscamos fazer com que as nossas criações tenham alcance e que possam, quem sabe, trazer algum tipo de transformação individual ou coletiva”, conta o ator e coordenador artístico do projeto, Eder Schmidt.
Em atividade desde 2008, o projeto já permitiu ao grupo realizar mais de 550 apresentações gratuitas em diversas cidades do país e beneficiar mais de 60 mil crianças. A peça 
Tecnópolis – Sem livro para contar história é fruto das andanças do grupo por esses locais. “Fomos percebendo as necessidades e os desejos das escolas e começamos a voltar o trabalho nessa direção. Lembro bem da pergunta de uma professora: ‘Vocês não têm um projeto de incentivo à leitura?’ Aquilo ficou na minha cabeça. E eu, que gosto tanto dos livros, me senti convocada para uma nova missão”, diz a atriz e autora do espetáculo, Marina Monteiro.
A ideia é mostrar que livros e tecnologia podem andar de mãos dadas. O espetáculo é encenado por quatro atores e conta ainda com a animação de bonecos, o que torna a peça ainda mais lúdica e envolvente.

Agenda:

Raul Soares: 21 e 22/09
Abre Campo: 23, 24 e 25/09Laranjal: 28/09Recreio: 29 e 30/09, 01 e 02/10 
Tecnópolis – Sem livro para contar históriaRealização: Teatrando Por AíPatrocínio: Brookfield Energia, por meio da Lei Federal de Incentivo à CulturaMais informaçõeswww.teatrandoporai.com.br 

quarta-feira, 29 de abril de 2015

Evento sobre prevenção ao uso de drogas é realizado em Astolfo Dutra

Resultados extremamente positivos estão sendo colhidos pelo PROERD em Astolfo Dutra. Uma parceria entre a PM da 146ª Cia PM e a Escola Estadual Souza Primo promoveu uma série de eventos a fim de conscientizar os jovens quanto ao uso das drogas. Durante vários dias, o Sgt Coelho, instrutor do PROERD, realizou intervenções nas salas de aula do ensino fundamental, médio e educação de jovens e adultos.

No dia 27 de abril, segunda-feira, a PM de Cataguases, estudantes e professores fizeram uma festa de encerramento das atividades, com apresentações musicais e mostra de trabalhos, além da encenação de uma peça de teatro criada pelos estudantes do curso noturno. Um dependente químico em recuperação também esteve presente na escola, conversando com os alunos sobre os efeitos nocivos das drogas na sua vida.

Ao final do evento, dois alunos da escola agradeceram ao Sgt Coelho pelos conhecimentos recebidos nas aulas do PROERD, expondo a todos a importância do Programa para as suas formações enquanto cidadãos.
Assessoria de Comunicação

sábado, 7 de março de 2015

Ruralminas trabalha na recuperação de nascentes e na preservação da água

A escassez de água e a importância da preservação dos recursos hídricos é o tema com mais destaques nos noticiários atualmente. Através do Projeto de Revitalização de Sub-Bacias Hidrográficas do Rio São Francisco, a Ruralminas trabalha para promover a conservação da água e dos solos.

Em parceria com a ANA (Agência Nacional de Águas), Caixa Econômica Federal, Seapa (Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento), Codevasf (Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba) e Emater-MG, são realizadas ações que resultam na maior oferta de água aos municípios que compreendem o Rio São Francisco, em Minas.

Atualmente 22 obras estão em andamento, 104 municípios já foram beneficiados, e até o final do projeto 218 cidades serão contempladas. Serão implantadas 22.745 bacias de captação, capazes de reterem as enxurradas e promoverem a retenção de águas e detritos que escorreriam pela superfície do solo causando erosão, enchentes e assoreamentos (acúmulo de sedimentos dos rios e córregos).
Também serão construídos 1.142 Km de terraços, cercamento de 342 Km de matas ciliares e de topos, 224 nascentes e 725 Km de readequação de estradas vicinais com enfoque ambiental, onde toda água de enxurrada será direcionada para bacias de captação, evitando o assoreamento.

De acordo com o gerente de estudos e projetos da Ruralminas, Paulo Fonseca, esse é um trabalho que precisa ser constante, pois garante várias melhorias na condição de vida da população, tanto rural quanto urbana. “Esse projeto irá garantir, entre vários benefícios, uma melhor oferta de água e conservação dos solos. Através da realimentação do lençol freático ocorre um aumento na disponibilidade de água nas nascentes e o controle erosivo. Também com esse planejamento é possível evitar o assoreamento de nascentes e cursos d’águas, degradação de áreas produtivas, surgimento de voçorocas, entre outros”, afirma.

Para a execução do Projeto de Revitalização de Sub-Bacias Hidrográficas do Rio São Francisco foram realizados três convênios que somam R$ 56 milhões. Destes recursos, já foram investidos R$ 25 milhões. (Fonte: Assessoria de Comunicação Social l Ruralminas)
FOTO: site ruralminas.mg.gov.br